Blog

| Blog

Mantenha-se informado com:
dicas, novidades, status de serviços
e muito mais.

Comunicado: Férias Escolares

sábado, 16 de julho de 2016

Blog Imagem Principal

PREZADOS CLIENTES

 

Comunicamos que de 18/07/2016 à 31/07/2016, devido as férias escolares da Escola Via Brasil / PBF, estaremos trabalhando em horários especiais.

Para suporte e financeiro atendimento de segunda a sexta das 12:00 às 18:00 hr.

 

Agradecemos a compreensão,

 

 

Equipe VBWP

#vbwp

Comente e participe:


Plataforma e-commerce: como escolher uma para o seu negócio

sexta, 01 de julho de 2016

Blog Imagem Principal

Os empreendedores virtuais que estão iniciando o seu projeto de criação de e-commerce inevitavelmente vão chegar ao momento em que devem escolher uma plataforma loja virtual. Com a frequência cada vez maior com a qual os internautas adquirem produtos pela internet e com o aumento do comércio eletrônico cresce também as opções de plataforma de e-commerce.

 

Existem diferentes tipos, cada um com suas vantagens e desvantagens, por isso, é mais do que importante saber quais são as modalidades e, inclusive, o investimento que cada uma delas exige. Dessa forma, é possível escolher a melhor plataforma e-commerce conforme as suas necessidades e possibilidades financeiras.

 

Porém, para fazer a escolha mais assertiva é preciso saber como funciona a plataforma de vendas. Ao aprender a como criar um site de vendas é preciso distinguir o front end e o back end da plataforma. Por mais que se possa dizer que uma plataforma e-commerce é o site da loja virtual, na verdade, é mais correto afirmar que se trata de um sistema no qual será desenvolvido o seu site.

 

Isso porque a plataforma não consiste apenas naquilo que é visto quando o internauta acessa a sua loja virtual, mas também o que está por trás dele, ou seja, a parte que você vai usar para cadastrar produtos, visualizar quantas vendas foram feitas, como foram pagas, etc.

 

Dessa forma, o front end é a parte que o consumidor enxerga ao entrar na sua loja virtual, o layout ou interface do site. Enquanto isso, o back end é a parte administrativa do sistema, como se fosse o seu escritório, aquilo que o cliente não enxerga.

 

DICAS DE COMO TER UMA LOJA VIRTUAL

Conforme o que cada plataforma e-commerce oferece o seu preço varia e quem está começando a vender pela internet pode não ter o capital inicial necessário para contratar um serviço mais completo. No entanto, é importante saber que embora se possa mudar de plataforma futuramente essa nem sempre é a melhor decisão.

 

Especialistas afirmam que toda a troca de plataforma de e-commerce é traumática, tanto no que diz respeito à administração do site quanto ao marketing do seu negócio, pois as falhas que podem ocorre no período de transição costumam atrapalhar as vendas. Nesse sentido, a dica é que mesmo os empreendedores que pretendem abrir uma pequena loja virtual pensem em seu projeto ao menos no médio prazo.

 

Se a ideia é crescer em pouco tempo o melhor é optar por uma plataforma mais robusta e para encontrar uma opção ainda vantajosa financeiramente é preciso conhecer quais as necessidades do seu e-commerce atuais e futuras. Embora a escolha de uma plataforma e- commerce dependa muito de cada projeto, algumas dicas valem a todos os negócios.

 

A primeira delas é preferir a contratação de empresas de plataformas de e-commerce com credibilidade no mercado, que sejam bastante usadas e conhecidas. Dessa forma, fica mais fácil, inclusive, de buscar informações com os seus clientes para que eles possam opinar sobre o desempenho da plataforma.

 

Na hora de sondar os clientes de uma determinada empresa, questione inclusive sobre a qualidade do suporte que a equipe oferece aos seus clientes. É importante ainda saber qual é o provedor de hospedagem usado pela plataforma e como é o seu desempenho geral. Se você planeja expandir a sua loja virtual não esqueça ainda de certificar-se com a empresa que é possível fazer essa expansão. Questione ainda sobre como funciona essa mudança, quais os valores cobrados, prazos, etc.

 

O QUE MAIS CONSIDERAR AO ESCOLHER PLATAFORMA E-COMMERCE

Você que deseja aprender a como montar um site de vendas deve ainda levar em consideração mais alguns aspectos importantes ao escolher uma plataforma e-commerce.

Entre eles, algumas perguntas são necessárias, veja quais são elas:

 

– É possível atualizar o sistema com novos produtos e informações quando necessário?

– O gerenciamento do sistema pelo proprietário do e-commerce é simples?

– O que o internauta enxerga, o site em si da sua loja virtual, combina com o seu público alvo?

– A plataforma e-commerce oferece os recursos que você precisa, como formas de pagamento variadas, banco de dados para cruzamento de informações, atendimento por chat on-line?

– É possível otimizar o seu e-commerce para os motores de busca a fim de ganhar mais visibilidade nos resultados das pesquisas?

– Quais os canais de comunicação pelos quais você pode ter suporte da empresa?

– A plataforma e-commerce é compatível com os principais navegadores?

– É possível integrar ao sistema ferramentas como Google Analytics, Google AdWords e Facebook Ads, além de permitir a integração com as mídias sociais?

– É uma plataforma que faz uso de recursos de segurança para os dados da sua loja virtual?

– A plataforma permite que o site do e-commerce se adapte aos diversos tipos de dispositivos móveis?

 

Tipos de plataforma e-commerce

As plataformas para desenvolver uma loja virtual podem ser classificadas em quatro tipos, sendo elas as seguintes:

 

Aluguel da licença de uso

É o mais usado pelos novos empreendedores virtuais, pois exige um menor investimento inicial. Nesse caso, a empresa oferece um sistema padrão e comercializa a licença de uso, ou seja, funciona como um aluguel de loja virtual. Isso significa que é preciso pagar uma taxa de instalação (taxa de setup) e mensalidade, sendo que o seu valor muda conforme o tráfego do e-commerce ou pode ser um percentual sobre o que é vendido.

 

Venda da licença de uso

A diferença aqui em relação ao tipo anterior é que não existe a mensalidade. No entanto, em ambos os casos, quando é preciso realizar algum ajuste no sistema, isso fica exclusivamente por conta da empresa que oferece o serviço, pois o código-fonte é de sua propriedade.

 

Venda do código fonte da loja

Aqui a diferença é que o código-fonte é comprado pelo proprietário do e-commerce. Dessa forma, profissionais da própria loja virtual ou terceiros contratados podem fazer as atualizações no sistema quando necessário, dando maior liberdade ao empreendedor. Além de um investimento maior, ele também se torna totalmente responsável pela plataforma.

 

Plataformas open source

Essa é a plataforma e-commerce grátis, uma vez que consiste em plataformas de código aberto. O seu custo é zero e existem muitas opções disponíveis, hoje em dia, na internet. No entanto, se você não domina a ferramenta será necessário contratar profissionais. Por outro lado, quem deseja aprender sobre o assunto encontra muito material na web.

 

Fonte: http://www.e-commerce.org.br/

Comente e participe: